A Biblioteca Marciana

A Biblioteca Marciana, cujo nome, diga-se de passagem (porque ainda não existe uma biblioteca em Marte), refere-se a São Marcos, santo padroeiro da cidade onde está localizado o prédio, Veneza, na Itália. 

Também chamada de Biblioteca di San Marco, Libreria Marciana, Libreria Sansoviniana, Libreria Vecchia, Libreria di San Marco ou simplesmente La Marciana, a biblioteca ocupa o Pallazzo della Libreria, na praça de São Marcos, no ponto mais turístico de Veneza.

Construída entre 1537 e 1553 pelo arquiteto Jacopo Sansovino, a biblioteca já possuía parte de seu acervo antes mesmo de ter sido completada: o cardeal bizantino Bessarion doou 746 manuscritos para a cidade de Veneza em 1468, atitude que, mais tarde, incentivou a cidade a construir uma estrutura digna de coletar volumes escritos e disponibilizá-los publicamente.

A partir de 1603, a cidade aprovou uma lei na qual todo livro impresso em Veneza deveria ter uma cópia disponível na biblioteca, gerando assim um aumento significativo na coleção da Marciana.

Hoje, a biblioteca contém, além de cerca de um milhão de livros impressos, por volta de 13 mil manuscritos antigos e quase 3 mil volumes publicados antes do século 15 (incunábulos). Entre os tesouros insubstituíveis da bibliotecas estão registros das óperas de Franceso Cavalli e sonatas de Domenico Scarlatti.


publicado por o escriba às 02:42