Terça-feira , 16 de Agosto DE 2011

UM NOVO CORAÇÃO !!

O efeito da Justiça será a Paz e da Injustiça é a Iniquidade!

 

“Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne”.  Ezequiel 36.26

 

Todo o dia você ouviu e vê noticias tais como: “Pai mata filho, mulheres são agridas pelo marido, idosos são maltratados, recém-nascido é abandonado, ladrões assaltam e matam”...

 

Isto nada mais é do que o reflexo de uma sociedade que mais e mais se afasta de Deus. A natureza humana está muito longe de ser apenas melhorada.

 

Não é como uma casa que precisa de pequenos reparos, tais como, substituir uma telha ou fazer um reboco no teto.

Não, ela está completamente corrompida. Até seu alicerce está arruinado. Do teto ao alicerce, não há uma viga sequer que não tenha sido comida por cupins. Não existe mais solidez, está toda apodrecida e pronta para desabar.

 

Deus não faz tentativas ou experimentos com o homem;  Ele não escora as  paredes com estacas ou pinta novamente as portas cheias de cupins; não ornamenta e embeleza, mas determina que a velha casa seja completamente derrubada, e uma nova seja construída em seu lugar. Como já mencionei isto é mais do que ser restaurada ou melhorada.

Se apenas algumas peças estivessem em mau estado, poderiam ser consertadas.

Se tão somente uma ou duas engrenagens desta grande maquina chamada “humanidade” estivessem quebradas, o Criador colocaria tudo em ordem. Trocaria as peças quebradas, substituiria a roda danificada, e a maquina voltaria a trabalhar em ordem.

Pelo contrário, os reparos são necessários por toda parte; não há sequer uma alavanca que não esteja quebrada ou eixo sem estragos; nenhuma das engrenagens funciona correctamente. A cabeça toda está doente e o coração completamente debilitado.

Desde a sola dos pés á cabeça, a raça humana está toda infestada de chagas e feridas pútridas.

 

Por isso, o Senhor, não pensa em apenas um simples reparo.

 

Ele diz “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne”.

“E o efeito da Justiça será a Paz”. Isaias 32.17

publicado por o escriba às 19:56
Segunda-feira , 01 de Agosto DE 2011

O papel, do Papel na Era da Escrita .

Johan Gutenberg

 

 

O papel como conhecemos surgiu na China no início do século 2, através de um oficial da corte chinesa, a partir do córtex de plantas, tecidos velhos e fragmentos de rede de pesca.

A técnica baseava-se no cozimento de fibras do líber - casca interior de certas árvores e arbustos - estendidas por martelos de madeira até se formar uma fina camada de fibras.

Posteriormente, as fibras eram misturadas com água em uma caixa de madeira até se transformar numa pasta.

Mas a invenção levou muito tempo até chegar ao Ocidente.

O papel é considerado o principal suporte para divulgação das informações e conhecimento humano.

Dados históricos mostram que o papel foi muito difundido entre os árabes, e que foram eles os responsáveis pela instalação da primeira fábrica de papel na cidade de Játiva, Espanha, em 1150 após a invasão da Península Ibérica.


No final da Idade 
Média, a importância do papel cresceu com a expansão do comércio europeu e tornou-se produto essencial para a administração pública e para a divulgação literária.

Johan Gutembger ( na imagem acima) inventou o processo de impressão com caracteres móveis - a tipografia.

Nascido, em 1397, da cidade de Mogúncia, Alemanha, trabalhava na Casa da Moeda onde aprendeu a arte de trabalhos em metal. Em 1428, Gutenbergparte para Estrasburgo, onde fez as primeiras tentativas de impressão.

Segundo dados históricos, em 1442, foi impresso o primeiro exemplar em uma prensa.

Em 1448 volta à sua cidade natal, e dá início a uma sociedade comercial com Johann Fust e fundam a 'Fábrica de Livros' - nome original Werk der Buchei. Entre as produções está a conhecida Bíblia de Gutenberg de 42 linhas.

A partir daí o mundo não seria mais o mesmo.

A partir do século 19, aumenta a oferta de papel para impressão de livros e jornais, além das inovações tecnológicas no processo de fabricação.

O papel passa a ser feito de uma pasta de madeira, em 1845.

Aliado à produção industrial de pasta mecânica e química de madeira - celulose - o papel deixa de ser artigo de luxo e torna-se mais barato.


 

publicado por o escriba às 23:14
Sexta-feira , 10 de Junho DE 2011

LIVRO DEVERIA SER PROIBIDO !!

publicado por o escriba às 19:57
Quarta-feira , 06 de Abril DE 2011

Como Ler um Livro

Você já pegou um bom livro mãos, tentou lê-lo, mas sempre esbarrou nas primeiras páginas, ou nos primeiros capítulos?

Você começa a sua leitura e de repente você cai no sono.

Não se preocupe, você não está sozinho nesta parada.

Muitos de nós, senão todos, já dormimos com um bom livro na mão.

Por que será que isso acontece?

Algumas respostas são bem simples: você realmente estava com sono e, qualquer coisa que fizesse naquele momento lhe traria mais sono.

Ainda pode ser que você não está habituado a ler e pegou um livro com palavras difíceis, com um português rebuscado e isso o desestimulou.

Mas ainda pode ser uma outra coisa.

Você não estava cansado, o livro tinha um linguajar adequado, mas mesmo assim você dormiu com ele.

Isso geralmente ocorre, pois enquanto lemos não aprendemos, ou mesmo não sabemos como lidar com o livro que temos em mãos.

Uma das alternativas para aproveitar melhor o livro e poder apreciá-lo melhor é aprender a fazer perguntas ao livro a medida que lê.

Vou propor duas perguntas que podemos fazer desde o dia em que escolhemos o livro e nos aventuramos em sua leitura.

Estas duas perguntas nos ajudarão bastante em nossa leitura e até mesmo na escolha do livro que iremos ler.

São estas:

1. Qual o tema do livro? Qual o seu assunto?

Geralmente os autores abordam o tema em suas primeiras páginas onde vão dar uma introdução ao tema que abordarão em seu livro.

Descobrir o tema de um livro o ajudará a pensar sobre a medida que o autor desenvolve a sua argumentação.

2. Como o autor desenvolve o tema?

A medida que o autor vai desenvolvendo o seu tema, você pode procurar descobrir como o autor desenvolve o tema.

Uma leitura é como uma "conversa" entre o leitor e o autor do livro.

É muito provável que ele saiba muito mais sobre o assunto e o desenvolve em seus capítulos.

A leitura realmente proveitosa é aquela que sabe fazer boas perguntas ao texto.

E não somente isso; ele sabe "dialogar", questionar, avaliar o autor à medida em que lê o livro.

Se eu desejo aproveitar o máximo de um livro, preciso aprender a argumentar com ele à medida que o leio.

 

Estas são apenas algumas perguntas que precisamos fazer enquanto lemos um livro.

Portanto, todas leitura será mais proveitosa à medida que aprendemos a interagir com o autor e a pensar nas implicações à medida que lemos.

Espero que estas perguntas o ajudem a aproveitar bastante da livro que tem em suas mãos, não mais dormindo com ele, mas aprendendo com ele e por meio dele.

publicado por o escriba às 18:53
Terça-feira , 15 de Fevereiro DE 2011

A Escrita, o Papel e o Livro ( Parte 2)

 

 

Na Mesopotâmia, mesma terra dos sumérios, criou-se um sistema de símbolos fonéticos em que um mesmo sinal podia ter vários significados. Gravavam-se os caracteres com um estilete em tabuletas de argila húmida que depois eram cozidas, como tijolos, até endurecerem.

 

O estilete fazia sulcos em linhas retas no barro- os historiadores chamaram essa escrita de cuneiforme.

A Escrita provavelmente foi criada por motivos comerciais.

Ela tornava possível, por exemplo, saber que certo número de ovelhas pertencia a determinada família ou era transportada para algum lugar.

O inventor das primeiras tabuletas escritas deve ter percebido as vantagens oferecidas pelas peças de argila: já não era preciso guardar tudo de cabeça.

A quantidade de dados armazenadas nas tabuletas podia ser tão grande quanto fosse necessário - enquanto a capacidade de memória do cérebro é limitada.

E para recuperar uma informação, as tabuletas não exigiam a presença de quem guardava a lembrança.

Um número, uma noticia ou uma ordem podiam ser obtido sem a presença física do mensageiro, e passado adiante.

Com um único ato - a incisão de um traço sobre uma tabuleta de argila - o primeiro escritor anónimo conseguiu ultrapassa barreiras como

o esquecimento, a distancia e a morte.

E, ao mesmo tempo, surgiu a figura do leitor, pessoa que leria as informações e daria vida ao que foi escrito.

A simplificação do código de sinais foi tanta que os escribas mesopotâmicos tiveram tempo para muitos outros registos alem dos comerciais.

O novo sistema possibilitou registar textos literários, poemas,livros de sabedoria, histórias humorísticas e leis.

Como o Código instituído pelo rei Hamurabi, que representou uma das primeiras tentativas de estabelecer regras para aspectos diversos da vida em sociedade.

E a Epopéia de Gilgamesh, datada de mais de quatro mil anos, é o mais antigo texto literário que se em noticia, com forte influencia das tradições orais.

A epopeia ou o poema épico, é uma maneira de contar aventuras heróicas em versos e foi o meio mais comum de expressão literária na época de formação dos povos da Antiguidade.

A escrita cuneiforme sobreviveu aos sucessivos povos que dominaram a Mesopotâmia - sumérios, arcádios, caldeus e assírios - e registou a literatura de 15 diferentes línguas, abrangendo a área ocupada hoje pelo Iraque, Síria e o oeste do Irã.

publicado por o escriba às 17:08
Terça-feira , 11 de Janeiro DE 2011

Quem Come Livro é Livre !

 

 

 

publicado por o escriba às 00:23

UM LIVRO DA BIBLIOTECA ESCREVE AOS SEUS FUTUROS UTILIZADORES

publicado por o escriba às 00:11
Segunda-feira , 10 de Janeiro DE 2011

A Escrita, o Papel e o Livro ( parte 01)

 

 

O primeiro escritor conseguiu ultrapassar as barreiras do esquecimento, da distancia e da morte. Mais do que isso: ele criou a figura do leitor, a pessoa que daria vida ao que foi escrito. Há mais de 20 mil anos, o ser humano já desenhava nas paredes das cavernas. Esta arte ganhou força em sociedades primitivas como forma de comunicação num período em que não existia a escrita. A gruta de Lascaux (imagem acima) na França, possui belos exemplos de pinturas rupestre. Artistas pré-históricos deixaram nas pedras cenas espantosa precisão. Devem ter exercitado bastante antes, em suportes que não sobreviveram ao tempo, como madeira, peles de animais, folhas secas e até mesmo a areia do chão. Os homens das cavernas criaram símbolos tão inteligíveis que ainda hoje podem ser identificados. Aquelas pinturas foram o primeiro passo para a escrita e, consequentemente, para o livro. Seis mil anos antes de Cristo na Suméria e mais tarde no Egipto, os desenhos transformaram-se em ideogramas ou símbolos. Na escrita Suméria, um triângulo com um traço significava uma mulher, várias meias-luas simbolizavam montanhas. A combinação de imagens era usada para expressar um novo conceito: o triângulo ao lado de meias-luas tinha o sentido de mulher escrava, aquela que foi trazida do outro lado das montanhas. O numero de ideogramas da antiga escrita Suméria aumentou á medida que as actividades tornaram-se mais complexas. Diante das limitações da escrita ideográfica, em que cada símbolo corresponde á uma idéia, começou a se desenvolver a escrita fonética – na qual símbolos representam sons.

 

 

publicado por o escriba às 16:00
Sexta-feira , 17 de Dezembro DE 2010

Um produto de Alta Tecnologia, O Livro !

Em sua forma actual, o Livro, vem sendo utilizado há mais de 500 anos, e representa um avanço fantástico da tecnologia. Não tem fios, circuitos eléctricos, nem pilhas ou baterias, não necessita ser conectado a nada, não precisa ser ligado a coisa alguma, e, é tão fácil de usar que qualquer criança pode operá-lo.

 

Basta abri-lo!

Cada página do Livro deve ser escaneada opticamente, e as informações transferidas directamente para a CPU do usuário, no próprio cérebro, sem qualquer formatação especial. Lembramos apenas que, quanto maior e mais complexa a informação a ser absorvida, maior deverá ser a capacidade de processamento do usuário.

 

Todo Livro é formado por uma sequência de folhas numeradas (actualmente reciclável), que podem armazenar milhares e até milhões de informações. As páginas são unidas por um sistema chamado de lombada ( ou dorso), que as mantém permanentemente em sequência correcta e podem ser usadas as duas faces (páginas) da folha de papel. Isso possibilita duplicar a quantidade de dados inseridos e reduzir os custos pela metade.

Para se fazer Livros com mais informações, basta usar mais folhas, mas os tornará mais grossos e mais difíceis de ser transportados, atraído criticas dos adeptos da portabilidade do sistema.

 

Vantagem imbatível do aparelho é que, quando em uso um simples movimento de dedo permite acesso instantâneo á próxima página. E a leitura do Livro pode ser retomada a qualquer momento, bastando abri-lo. Nunca apresenta erro de senha, nem precisa ser reiniciado e só fica estragado ou até mesmo inutilizado quando atingido por líquidos.

Tem um Índice Remissivo que permite a cessar qualquer pagina instantaneamente e avançar ou retroceder na busca com muita facilidade, digamos que é um sofwter que já vem instalado.

 

Um acessório opcional, o marcador de páginas, permite também que você a cesse o Livro exactamente no local em que o deixou na ultima utilização, mesmo que ele esteja fechado. A compatibilidade dos marcadores de página é total permitindo que funcionem em qualquer modelo ou tipo de Livro sem a necessidade de configuração. Todo Livro suporta o uso simultâneo de vários marcadores de paginas, caso o usuário deseje manter seleccionados múltiplos trechos ao mesmo tempo.

 

Pode-se ainda personalizar o conteúdo do Livro, por meio de anotações em suas margens. Para isso, deve-se utilizar um periférico chamado de Lápis.

Elegante, durável e barato o Livro vem sendo apontado como instrumento de entretenimento e cultura do futuro, como já foi de todo o passado ocidental. São milhões de títulos e formas que anualmente programadores (editoras) põem á disposição do público utilizando essa plataforma.

 

E uma característica de super importância: o Livro não tranca, não enguiça, não dá pau, nem fica sobre carregado, e pode ser utilizado no carro, no ônibus, no trem, no avião, no banheiro, e até na cama.

Boa Leitura !

publicado por o escriba às 00:35
Segunda-feira , 27 de Setembro DE 2010

Que é Amizade ?


Diz-nos o dicionário que Amizade significa: sentimento de quem é amigo, afeição recíproca entre duas pessoas, simpatia, estima, boas relações amor, dedicação, benevolência...

 

Estes dias li em um cartaz :

 

Web, emails, blogs, scraps, sites..... mas ainda me sinto sózinho !

 

Lendo estes conceitos percebo que nos dias atuais em meio ao mundo tão agitado, onde corremos desde que levantamos até ao adormecer, não temos mais tempo de usufruir todo bem que um verdadeiro amigo nos faz.


Aquela amizade sincera, gostosa, que dá prazer para os dois lados, pois um amigo não é só aquele que ri quando você está feliz, e sim aquele que chora quando tu estas triste.

 

Na amizade tem que haver dupla troca, ou seja, não pode apenas um se beneficiar com a amizade.

 

Para um amigo não se precisa pedir favor, ele mesmo percebe tua necessidade; também não é preciso pedir segredo, pois ele saberá que não deverá contar a outrem teus segredos.

 

Para um amigo nunca vais ter que pedir desculpas, pois não fará nada para magoá-lo, e nem será necessário convidá-lo para o teu aniversário, pois ele terá prazer em ir felicitá-lo e nas horas difíceis será o primeiro a chegar.

 

Por estas e outras tantas razões vejo que a amizade é o bem mais precioso que nós temos.

 

Refletindo sobre isso me pergunto:

 

Por que está tão difícil termos amizades hoje?

 

Será que não estamos nos dando o suficiente para o nosso amigo ou vice-versa?

 

Será que estamos procurando amigos só quando estamos em dificuldades e não percebemos as dificuldades dele?

 

. “Levai as cargas uns dos outros e assim cumprireis a lei de Cristo”. (que é o amor) Gal. 6:2,7.

publicado por o escriba às 02:10

mais sobre mim

Tradutor /Linguagem/idiomas

links

últ. comentários

mais comentados

arquivos

Novembro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro